“Conhece-te a ti e conhecerás o Universo”
Temos ouvido frases como esta, mas teremos nós entendido o que realmente quer dizer?
Eu tento aproveitar todos os acontecimentos para Ver como me sinto nas mais diversas aventuras da vida, e assim olhar em volta e realmente VER.





Conto Zen - De Quem é o Presente?


Perto de Tóquio vivia um grande samurai idoso que agora se dedicava a ensinar o zen aos jovens. Apesar de sua idade, corria a lenda de que ainda era capaz de derrotar qualquer adversário. Certa tarde, um guerreiro conhecido por sua total falta de escrúpulos apareceu por ali. Era famoso por utilizar a técnica da provocação: esperava que seu adversário fizesse o primeiro movimento e, dotado de uma inteligência privilegiada para reparar os erros cometidos, contra-atacava com velocidade fulminante. O jovem e impaciente guerreiro jamais havia perdido uma luta. Conhecendo a reputação do samurai, estava ali para derrotá-lo, e aumentar sua fama. Todos os estudantes se manifestaram contra a ideia, mas o velho aceitou o desafio. Foram todos para a praça da cidade, e o jovem começou a insultar o velho mestre. Chutou algumas pedras em sua direcção, cuspiu em seu rosto, gritou todos os insultos conhecidos, ofendendo inclusive seus ancestrais. Durante horas fez tudo para provocá-lo, mas o velho permaneceu impassível. No final da tarde, sentindo-se já exausto e humilhado, o impetuoso guerreiro retirou-se.
Desapontados pelo fato de que o mestre aceitar tantos insultos e provocações, os alunos perguntaram: - Como o senhor pode suportar tanta indignidade? Por que não usou sua espada, mesmo sabendo que podia perder a luta, ao invés de mostrar-se covarde diante de todos nós?
- Se alguém chega até você com um presente, e você não o aceita, a quem pertence o presente?
- A quem tentou entregá-lo - respondeu um dos discípulos.
- O mesmo vale para a inveja, a raiva, e os insultos - disse o mestre - Quando não são aceitos, continuam pertencendo a quem os carregava consigo. A sua paz interior, depende exclusivamente de você. As pessoas não podem lhe tirar a calma, só se você permitir...

Poema do Imperador Meiji (121)


121 – A forma correcta de pensar
Através do oceano
E em todos as direcções
Eu penso em todos os povos como irmãos
Qual é o motivo da guerra neste mundo?

Poema do Imperador Meiji (120)


120 – Prática (Espiritual)
A menos que o teu trabalho aponte
Para o bem estar geral
É muito difícil
Conduzir
Os povos neste mundo

Poema do Imperador Meiji (119)


119 – Prática (Espiritual)
Escolhido para ser
Um guia
Do mundo
Deve-se ter
Uma atitude correcta

Poema do Imperador Meiji (118)


‎118 – Em Geral
Quando for necessário
Caminhar em frente
Vai adiante, senão
Só chegarás lá depois
Dos outros, neste mundo

Poema do Imperador Meiji (117)


117 – Estudantes
Apesar do mundo
Não ser sossegado, mas barulhento
O estudante não deve vaguear
Do caminho da aprendizagem
Com um coração sossegado

Poema do Imperador Meiji (116)


116 – O Tesouro
Trabalha arduamente
Realizando uma habilidade
E torna-te independente neste mundo
Desta forma, a habilidade
Torna-se o teu tesouro

Poema do Imperador Meiji (115)


115 – A Estrada
Se estás a caminhar
No caminho certo
Nenhum perigo
Deste mundo
Te pode afectar

Poema do Imperador Meiji (114)


114 – O Caracol
O que é que se passa
Aí fora?
É assim que um caracol
Sai da sua casa
Para observar

Poema do Imperador Meiji (113)


113 – Em Geral
Apesar de
Ser muito famoso
Neste mundo
Deve-se manter a humildade
Como ser humano

Poema do Imperador Meiji (103)


103 – o Jornal
Tanta gente lê o jornal
Por conseguinte
Dever-se-ia escrever
Sobre o que é significativo
Em vez do mundano

Poema do Imperador Meiji (102)


102 – Professor
Ainda que te tornes um especialista
Dum assunto qualquer
Não te esqueças
Do que te foi ensinado
Pelos teus professores